Pages

sábado, 7 de dezembro de 2013

Carteira Recomendada – Trimestre Dez de 2013 e Jan/Fev de 2014


A sétima Carteira Trimestral Recomendada pelo Método GRIFO não foi nada fácil de se montar. Com a sexta composição, voltamos a superar a meta preestabelecida de superação do Ibovespa, o que nos deixaria confortáveis para seguir com o método inalterado para a sétima composição. No entanto, observou-se uma grande piora dos números da economia, e principalmente, a de um deles que influencia bastante os parâmetros escolhidos para os indicadores que o Método GRIFO utiliza: a taxa básica de juros Selic.

A Selic funciona no método como uma TMA (Taxa Mínima de Atratividade). Ou seja, se é esperado para aquela determinada empresa, uma lucratividade menor que a TMA, em vez de comprar suas ações, eu opto por outro investimento, que ultimamente tem sido o Tesouro Direto.

Após fazer os ajustes de praxe nos parâmetros dos filtros de indicadores fundamentalistas do Método GRIFO, rodei a simulação e, para minha surpresa, a carteira ficou composta por apenas quatorze ativos, sendo treze deles de apenas dois setores da economia: Construção e Engenharia e Financeiro.

Eu não sou partidário da ideia de que se tem que fazer grande diversificação. Acredito que se você sabe o que está fazendo e tem segurança quanto aos riscos que corre, você pode sim concentrar os ovos numa única cesta. No entanto, em se tratando do momento que vive a economia e também do meu próprio método de investimento, já que o Método GRIFO faz basicamente uma análise de múltiplos fundamentalistas, sem adentrar profundamente no estudo das empresas selecionadas, eu não tenho toda essa segurança para uma diversificação tão pequena.

Daí, tomei a decisão de modificar novamente o Método GRIFO. E a modificação foi a seguinte: a Carteira Trimestral Recomendada pelo Método GRIFO terá, a partir desta sétima composição, sempre ações de vinte empresas. Farei isso de duas formas. Quando o número de empresas selecionadas nos filtros originais superarem vinte, eu farei sua ordenação, ainda de acordo com o método original, e selecionarei as vinte melhores a partir desse ranking. Até aí, nenhuma mudança. Mas já quando o número de empresas for inferior a vinte, como foi o caso deste trimestre, irei aliviando os critérios utilizados até que o número de empresas encontrado seja igual a vinte.

Isso foi feito já para a seleção deste trimestre. Para se chegar no número de vinte empresas, precisei aliviar os critérios originais em 7%. Ainda assim, em termos de setorização da economia, não tivemos grandes alterações, e a Carteira Recomendada continuou muito concentrada nos setores de Construção e Engenharia e Financeiro, onde as empresas ainda apresentam maior desvalorização. No entanto, não fizemos novas alterações e deixamos dessa forma. Em todas as composições anteriores esses setores já eram dominantes e o resultado tem sido muito bom até agora, com uma valorização média mensal de 1,91%, enquanto no mesmo período o Ibovespa tem desvalorizado 0,21% ao mês, em média.

Com tudo isso, foram feitas somente três alterações em relação a composição da carteira do trimestre anterior. As três ações que se despediram da Carteira Trimestral foram a Companhia Paranaense de Energia – Copel (CPLE3), a Kepler Weber (KEPL3) e a Petrobras (PETR4). Todas empresas que nos deram alegrias no trimestre anterior, principalmente a Kepler Weber (KEPL3), que proporcionou uma despedida particularmente difícil para mim. As três empresas que chegaram para compor a nova Carteira Recomendada pelo Método GRIFO foram a Autometal (AUTM3), o Paraná Banco (PRBC4) e a Santos Brasil Participações (STBP11). Dessas três, somente a Santos Brasil Participações (STBP11) nunca havia aparecido numa composição anterior.

Vamos explicitar os motivos para a saída de três empresas que apresentaram excelentes resultados no trimestre anterior.

A Copel (CPLE3), apesar de ter seu Rating Nacional afirmado pela Fitch em AA+(bra), com perspectiva estável e de ter apresentado à ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) um plano de ação que visa fundamentar o reequilíbrio financeiro e a sustentabilidade econômica da concessão do segmento de Distribuição, contemplando redução de custos proveniente de um programa de demissão voluntária e de reestruturação com extinção de 60% dos postos gerenciais, apresentou piora pelo terceiro trimestre consecutivo em sua capacidade de pagamento de curto prazo, medida pela liquidez corrente (Ativo Circulante/Passivo Circulante). Essa relação do Balanço da Copel se deteriorou principalmente em razão da diminuição em sua linha de Contas a Receber (queda de 20% nos últimos seis meses) e do aumento em sua linha de Obrigações Fiscais (aumento de 45% em seis meses) e na linha de Empréstimos e Financiamentos, esta última com aumento de 60% somente no últimos trimestre, fruto dos novos investimentos da companhia. Mas essa conta vem aumentando significativamente no último ano e meio. Com isso, a empresa acabou barrada neste filtro.

A Kepler Weber (KEPL3) teve uma emocionante despedida da nossa carteira, após ter tido uma valorização de 88,2% em um único trimestre. É a ação que mais me deu alegrias. Nos três trimestres em que esteve compondo a nossa Carteira Recomendada de ações ela valorizou-se 242%! Ela responde sozinha por cerca de um quarto de todo o lucro que eu tive com o Método GRIFO desde o início desde blog em junho de 2012, sendo a ação que mais se valorizou em todos os três trimestres dos quais fez parte de nossas carteiras. Com um histórico desses, não tinha como não se apegar a este papel. E eu me apeguei. E por isso sofri tanto ao ter que vendê-lo. A razão da venda é óbvia: o preço! Tinha calculado um “preço justo” para a ação da Kepler Weber de R$ 28,70. Acontece que essa marca foi deixada rapidamente para trás em meados de novembro e, ao fim do mês, a ação já estava precificada acima de R$ 42,00. Com isso, ela estourou todas as barreiras que o Método GRIFO impõe ao preço das ações, principalmente, as relações P/L e P/VP. Assim, coloquei esse lucro no bolso e me despedi com uma lágrima nos olhos da Kepler Weber (KEPL3).

Por último, a gigante petrolífera, Petrobras (PETR4). Eu tenho um carinho todo especial por esta empresa, já que sou um de seus empregados, no entanto, como esse foi o trimestre do desapego, também liquidei minha posição aqui. A razão principal foi a diminuição persistente das taxas de retorno obtidas pela empresa ao longo dos últimos anos. O Método GRIFO observa dois bons indicadores fundamentalistas que medem a taxa de retorno de uma empresa, que são o ROIC e o ROE. O primeiro (ROIC) mede a taxa do retorno obtido pela empresa em relação ao seu capital total aplicado, já o segundo (ROE) mede a taxa do retorno com a relação entre o Lucro Líquido e o Patrimônio Líquido da empresa. Fiz estudos utilizando os dados de balanço da Petrobras dos últimos sete anos e percebi que essas duas taxas são firmemente decrescentes ao longo desse período. O Lucro Líquido da companhia manteve-se ao longo desses anos, boa parte do tempo entre 25 e 30 bilhões de reais, oscilando com alguns picos por volta dos R$ 40 bilhões e vales por volta dos R$ 20 bilhões. Já seu lucro operacional, medido pelo EBIT (Earning Before Interest and Taxes), oscila sempre por volta dos 50 bilhões de reais, chegando a R$ 60 bilhões em alguns períodos. No entanto, para se gerar esses montantes de lucro, ao longo desses sete anos foi necessário o emprego de cada vez mais capital e patrimônio. O Patrimônio Líquido da Petrobras era de 96 bilhões de reais no 3T06, e é de 341 bilhões de reais no 3T13. O capital total investido passou de 166 bilhões de reais no 3T06 para 676 bilhões de reais no 3T13. Com a deterioração desses indicadores, a Petrobras (PETR4) acabou ficando de fora dos filtros e, consequentemente, da nossa Carteira Recomendada. Para uma melhor visualização da diminuição do ROIC e ROE da Petrobras ao longo desses sete anos, elaborei o gráfico que segue:

image

Agora vamos às entrantes, começando pela Autometal (AUTM3). Esta empresa, que é uma das principais fornecedoras de componentes e subconjuntos do setor automotivo, já fez parte de uma de nossas Carteiras Trimestrais, a primeira delas, do período Jun/Jul/Ago de 2012. A empresa terminou aquele trimestre com um desempenho excelente, valorização de 41,5%, após o que foi vendida por ter apresentado queda em sua receita pelo quarto trimestre consecutivo (considerando as somas dos quatro últimos trimestres). Ou seja, o preço explodiu, apesar da piora dos números da empresa. [Obs.: Esse negócio de vender as ações que subiram muito faz todo o sentido do mundo: comprar na baixa e vender na alta. Mas como é difícil!] A situação atual é o inverso daquela, a receita da empresa apresentou aumento no último ano e meio, os números vem melhorando, enquanto o preço está num patamar inferior àquele que a empresa tinha no fim de agosto de 2012, quando foi vendida.

A outra empresa que chega para compor a nova Carteira Trimestral também já deu as caras anteriormente: é o Paraná Banco (PRBC4). Ela foi parte da Carteira Recomendada do Trimestre de Jun/Jul/Ago de 2013 e deixou a carteira ainda apresentando bons fundamentos, apenas por razão de liquidez de seus papéis. A movimentação desse papiro na Bolsa de Valores de São Paulo fica no limiar do nosso filtro de liquidez, o que faz com que alterações no seu volume de negociação de um trimestre para o outro possam tirar ou colocar o ativo em nossa carteira. Nesse caso ainda demos sorte, pois apesar do último trimestre ter sido de alta para a maior parte das ações, encontramos o Paraná Banco (PRBC4) no mesmo patamar de preços em que o havíamos deixado três meses atrás.

Por último, a empresa que é a verdadeira estreante em nossas Carteiras Recomendadas pelo Método GRIFO, a Santos Brasil Participações (STBP11). A companhia é a maior operadora de contêineres do Brasil, está presente em três portos brasileiros (Santos – SP, Imbituba – SC e Barcarena – PA) e atende a todas as etapas da cadeia logística (da movimentação portuária à armazenagem, transporte e distribuição). Esta empresa vem mostrando indicadores fundamentalistas crescentes, enquanto a cotação de suas ações vem sofrendo terrivelmente, caindo 25% somente nos últimos dois meses. Assim, enxergamos uma boa oportunidade de entrar neste papel.

Finalmente, apresentamos a sétima Carteira Trimestral Recomendada pelo Método GRIFO, para os meses de dezembro de 2013 e janeiro e fevereiro de 2014:

image

A relação P/L média da nova Carteira Recomendada subiu um pouco, de 8,0 para 8,6, fruto até mesmo da alta dos preços das ações no trimestre anterior. Já o P/L médio do Ibovespa, apesar da alta, caiu, de 15,3 para 15,0. Com isso, a margem do nosso P/L em relação ao P/L do Ibovespa diminuiu um pouco, mas ainda é uma boa margem. Já a nossa “margem de segurança” em relação a Taxa de Juros Básica da Economia, despencou para apenas 17% com as sucessivas altas da Taxa Selic. Esse é o trimestre onde a nossa Carteira Recomendada apresenta a menor “margem de segurança” em relação à Selic de todas as sete composições até agora.

Quanto a diversificação da carteira, ela diminuiu mesmo com a manutenção de vinte empresas. O número de setores representados caiu de nove para oito (saída dos representantes dos setores de Energia Elétrica, Máquinas e Equipamentos e Petróleo, Gás e Biocombustíveis para a entrada de representantes dos setores de Material de Transporte – Rodoviário e de Transporte – Apoio Logístico e Armazenagem). A concentração dos setores de Construção e Engenharia e Financeiro também aumentou, de 65% para 70% da carteira.

O setor de Construção e Engenharia se mantém com 40%, sendo o mais importante da carteira, mas o setor Financeiro teve sua participação aumentada de 25% para 30%, com a entrada do Paraná Banco (PRBC4). Todos os outros seis setores têm apenas um representante na carteira e, portanto, 5% de participação.

Segue o gráfico com as concentrações setoriais:

image

Para encerrar, e para fins de registro para futuros estudos e lições aprendidas, os seis papéis que só ficaram na Carteira Recomendada do Trimestre por ocasião do alívio de 7% nos filtros dos indicadores foram: Autometal (AUTM3), CSN (CSNA3), Duratex (DTEX3), Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3), Saraiva Livreiros Editores (SLED4) e Santos Brasil Participações (STBP11).

domingo, 1 de dezembro de 2013

Resultado Final – 30/11/2013

 

Resultado Final da Carteira do Trimestre Set/Out/Nov de 2013, de 01/09/13 a 30/11/13


Com o fim de novembro de 2013, fechamos a sexta Carteira Trimestral Recomendada pelo Método GRIFO, e com ela, voltamos a atingir o objetivo do Método, que é conseguir superar o principal índice da Bolsa de Valores brasileira, o Ibovespa. Após a decepção com a quinta composição, concluída em agosto/13, não desanimamos e mantivemos a estratégia predefinida, e fomos recompensados pela volta à superação do índice neste trimestre, pela quinta vez em seis composições, além de termos voltado a apresentar ganhos no trimestre.

Conseguimos superar o Ibovespa em todos os três meses do período. Ao final do trimestre, conseguimos uma valorização de 10,86% com nossa Carteira Recomendada, enquanto no mesmo período o Ibovespa subiu 4,74%, ou seja, batemos o índice de referência por uma margem de 6,12 pontos percentuais.

Este trimestre começou muito bem, com um mês de setembro bastante eufórico, e com uma empolgação que ainda continuou pelo mês de outubro, levando tanto a nossa Carteira Recomendada como o Ibovespa ao seu pico no trimestre em meados desse mês. Depois, ela começou a arrefecer fazendo com que o mês de novembro, último do período, terminasse em queda. Durante o trimestre, tivemos para a Carteira Recomendada pelo Método GRIFO uma valorização média mensal de 3,50%, enquanto o Ibovespa conseguiu, na média, 1,56% ao mês, uma diferença nas médias mensais de 1,94 p.p..

Nesse trimestre foram alcançadas algumas marcas importantes. Para o Ibovespa, o início do trimestre foi explosivo, e o principal índica da Bolsa de Valores de São Paulo fechou a primeira semana de setembro/13 com alta de 7,48%! Foi a maior alta semanal desde o início do blog, em junho/12. E influenciada por esta alta, também nessa semana o Ibovespa atingiu um pico de volatilidade de 20,7% (de 52 semanas).

Mas o Método GRIFO também conquistou novas marcas. Em meados de outubro/13 quebramos dois recordes importantes. No dia 12/10/2013, o Método GRIFO atingiu, na contagem acumulada desde o início do blog em junho/12, a maior distância já colocada sobre o Ibovespa: 44,8 p.p.. Uma semana mais tarde, no dia 19/10/2013, alcançamos o maior patamar de valorização acumulada do Método GRIFO: 42,9% de alta (desde junho/12). Ao contrário do Ibovespa, para o Método GRIFO foi batido o recorde de menor volatilidade histórica (de 52 semanas) até aqui, no dia 23/11/2013, quando a VH de um ano do Método ficou em 14,8%.

Em termos de precisão, apesar da Carteira do Trimestre não ter terminado com os melhores índices históricos, durante esses três meses também foram batidos recordes. O primeiro, um recorde ruim. Na primeira semana do trimestre, devido a já comentada imensa valorização do Ibovespa naquela semana, nós ficamos com uma precisão relativa de apenas 15%, ou seja, somente três ativos dos vinte que compõem a nossa carteira superavam o Ibovespa. Já no fim desse mês de setembro, a despeito do começo avassalador do Ibovespa, já tínhamos uma precisão relativa de 95%. Por duas semanas consecutivas, no fim de setembro e início de outubro, tivemos 100% de precisão absoluta, com todos os vinte papéis apresentando valorização. Terminamos o trimestre com uma precisão relativa ao Ibovespa de 55%, e absoluta de 75%.

E o recorde mais impressionante do trimestre foi conquistado por um ativo específico. A Kepler Weber (KEPL3) superou a todas as expectativas mais otimistas, e encerrou o trimestre com uma valorização de nada menos que 88,2%! Esta ação já compôs a Carteira GRIFO em três trimestres, e foi o papel que mais se valorizou na carteira em todos as três das quais participou. Nesses nove meses que esta ação integrou nossas Carteiras Recomendadas, ela valorizou-se incríveis 242%! Ela é sozinha responsável por mais de um quarto de todo o dinheiro que o Método GRIFO já me rendeu.

Olhando agora para os erros e acertos dentre as escolhas para este trimestre, vimos que dentre as três ações que foram excluídas da última carteira, podemos nos gabar de que foram todas acertadamente vendidas. A Vale (VALE5), foi a que se saiu melhor entre elas, com valorização de 6,5% no período, no entanto, essa valorização foi menor que aquela conseguida pela nossa Carteira Recomendada no Trimestre, que foi de 10,9%. Podemos dizer o mesmo do Paraná Banco (PRBC4), que subiu somente 1,1% no período (e agora voltará a compor nossa nova Carteira Trimestral Recomendada, aguardem). Mas a exclusão mais acertada do trimestre foi a das ações da CTEEP - Transmissão Paulista (TRPL4), que despencaram 13,7% nos últimos três meses.

Já dentre as seis estreantes da Carteira Recomendada deste último trimestre, cinco se valorizaram mais que o Ibovespa no período, somente a Locamerica (LCAM3) foi exceção. E das cinco que bateram o Ibovespa, quatro delas tiveram desempenho inclusive maior que a média da Carteira Recomendada, ou seja, contribuíram para aumentar os números da carteira. O maior destaque dentre as estreantes foi a CSN (CSNA3), que subiu 42,3% no período, resultado excelente, que só foi ofuscado pela Kepler Weber (KEPL3). Depois dela, aparecem a Copel (CPLE3) com alta de 17,0%, o Banco Pine (PINE4) com valorização de 14,5%, a Duratex (DTEX3) com alta de 12,0% e a Brasil Brokers (BBRK3), que subiu 6,4%. A Locamerica (LCAM3) completa a lista das novatas, mas com desvalorização de 10,0% no período.

Vejamos como ficou o quadro resumo do trimestre. Como já comentamos, a Kepler Weber (KEPL3) foi a ação que teve melhor resultado, com uma valorização estupenda que não me canso de repetir: 88,2%! Já o papel que teve o pior resultado no trimestre foi o da Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3), que acumulou perdas de 13,8% no período de setembro a novembro de 2013.

image

No gráfico de barras, podemos observar um comportamento oposto ao que se viu no trimestre anterior. Aqui, havia um comportamento bastante diferenciado entre as duas composições nas semanas iniciais do trimestre, e do meio pro fim do período, as barras passaram a andar de maneira mais uniforme, aumentando a sua correlação no trimestre que fechou em 70,3%, mesmo assim, abaixo dos 79,3% da média histórica.

image

Também de modo inverso ao do período anterior, durante todo este trimestre observamos tanto o índice Ibovespa quanto a Carteira Recomendada pelo Método GRIFO trabalhando no lado positivo, com valorização em relação ao início de setembro/13.

Apesar da decolagem inicial do Ibovespa, a Carteira Recomendada pelo Método GRIFO conseguiu sua recuperação ainda no primeiro mês, trabalhando acima do índice de referência daí em diante. É fácil notar ainda a menor volatilidade da Carteira GRIFO.

image

Em breve divulgaremos a nova Carteira Trimestral Recomendada pelo Método GRIFO, a sétima acompanhada pelo blog e, a mais difícil de ser montada até agora. A Carteira Recomendada que vigorará no trimestre de dezembro de 2013 a fevereiro de 2014 foi uma verdadeira tortura psicológica, onde foi necessário se desapegar de certos ativos e até mesmo de regras, nos obrigando a mais uma vez “mexer no time vencedor”.

Resultado – 18 meses (Novembro/13)


Com o mês de novembro de 2013 teve fim a nossa sexta Carteira Recomendada Trimestral, ou seja, já se passaram um ano e meio desde o início do acompanhamento do Método GRIFO por este blog.

O décimo oitavo mês quebrou, tanto para o Ibovespa quanto para a nossa Carteira Recomendada, a bela sequência de quatro meses consecutivos de alta, e parece ter se formado um novo topo em meados de outubro. A partir daí, estamos tendo um período de congestão, mas que já vai se distanciando daquele topo, quer seja apenas um alívio da tendência de alta iniciada em julho/13, quer seja realmente uma nova reversão dessa tendência.

O fato é que esse recuo é evidente no resultado do mês de novembro/13 tanto para o Ibovespa, quanto para a Carteira GRIFO, embora com menor intensidade nesta última. O Ibovespa terminou o mês com queda de 3,27%, enquanto nossa Carteira Recomendada pelo Método GRIFO teve perdas de 1,91%, colocando uma diferença de 1,36 ponto percentual.

Com isso, no acumulado desde o início do blog, há dezoito meses, o Método GRIFO acumula alta de 40,6%, enquanto o Ibovespa teve perdas de 3,7%. A distância que colocamos para este índice, que tomamos como referência em nossos estudos, atingiu outro patamar recorde nos fechamentos mensais, e agora é de 44,2 p.p.. Isto equivale a uma valorização média mensal de 1,91% das Carteiras Recomendadas pelo Método GRIFO, enquanto o Ibovespa vem perdendo, em média, 0,21% ao mês, ou seja, estamos superando o índice numa média de 2,12 p.p. ao mês.

Considerando somente os últimos doze meses, o Método GRIFO rendeu 17,9%, enquanto o Ibovespa perdeu 8,7% no mesmo período, uma diferença de 26,6 p.p..

Observando o gráfico de linhas, percebemos a formação de um novo topo no mês de outubro/13, que no caso do Ibovespa, é inferior ao último topo, de dezembro/12, o que na Análise Técnica pode ser interpretado como a continuidade de uma tendência de baixa (topos decrescentes). O mesmo padrão não aparece na linha do Método GRIFO. Embora também exista a formação de um novo topo em outubro/13, ele supera o anterior, de abril/13.

image

O gráfico de barras aponta um padrão interessante: temos barras muito parecidas com as do mesmo período do ano passado (embora com uma defasagem de um mês). Será que teremos novo “rali de Natal” em dezembro deste ano?

image

Com o fim deste mês de novembro também chega ao seu término a sexta Carteira Recomendada pelo Método GRIFO. Em breve publicaremos o fechamento deste trimestre e a nova Carteira Recomendada para o trimestre que se inicia em Dezembro de 2013 e estende-se até Fevereiro de 2014.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Resultados – 23/11/2013

 

Carteira do Trimestre Set/Out/Nov de 2013 – Resultados de 01/09/2013 a 23/11/2013


Penúltima semana do trimestre, mais uma vez, uma semana de quatro dias, cortada por um feriado bem no meio. A nossa 6ª Carteira Trimestral Recomendada pelo Método GRIFO vai aproximando-se do fim e, felizmente, tudo indica que voltaremos a bater nossa meta de superar o índice Ibovespa. Nesta semana tivemos queda nas duas composições, no entanto, ela foi 0,32 ponto percentual mais branda com nossa Carteira GRIFO que caiu 0,89%, enquanto o nosso índice de referência perdeu 1,22%.

Com mais essa semana, acumulamos uma diferença de 5,5 p.p. de vantagem sobre o Ibovespa, portanto, considero muito improvável que não consigamos bater nosso índice de referência neste trimestre. No acumulado desde o início de setembro/13, o Ibovespa apresenta alta de 5,6%, enquanto a Carteira Trimestral Recomendada atinge 11,0% de valorização.

Essa semana foi muito problemática para as empresas do Setor Financeiro, com quatro dos cinco bancos que temos em nossa carteira apresentando desvalorização. O mercado mostrou-se amedrontado com a proximidade do julgamento no STF (Supremo Tribunal Federal) que trata de indenizações a poupadores da caderneta de poupança que se dizem prejudicados nas viradas dos planos de estabilização Bresser (1987), Verão (1989), Collor 1 (1990) e Collor 2 (1991). A conta pode chegar a R$ 150 bilhões, o que seria devastador para o Setor. O Portal InfoMoney trouxe um apontamento com o impacto para cada banco no caso de uma decisão do STF desfavorável a estes, onde podemos ver que o Banco do Brasil seria um dos mais afetados.

Não por acaso as ações do Banco do Brasil (BBAS3) tiveram um dos piores resultados da nossa Carteira nessa semana, perdendo 8,0%. O Banco Banrisul (BRSR6) foi ainda pior, e caiu 8,6%, mas o destaque negativo ficou mesmo por conta da construtora Helbor (HBOR3), que perdeu 9,8% de seu valor de mercado.

Com as quedas da semana, outras quatro empresas mergulharam para o terreno negativo, juntando-se à Locamerica (LCAM3) e à Rodobens (RDNI3). Além das já destacadas Banrisul (BRSR6) e Helbor (HBOR3), as ações da Saraiva Livreiros Editores (SLED4) e da Cyrela Brazil Realty (CYRE3) caíram 4,0% e 1,0%, respectivamente, o que foi suficiente para levá-las ao terreno negativo. Com isso, a Carteira Recomendada tem sua precisão reduzida para 70%, o nível mais baixo neste trimestre. As ações da Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3) seguem isoladas na lanterna, já acumulando perdas de 11,7% desde o início de setembro/13.

Já o destaque positivo foi novamente da Kepler Weber (KEPL3). As ações desta companhia de silos e armazenamento de grãos decolaram e tiveram ganhos de incríveis 17,0% ao longo da semana! Com isso, a Kepler deixou a CSN (CSNA3) para trás e assume a ponta como a empresa componente da Carteira GRIFO que mais se valorizou neste trimestre, disparando com 66,7% de alta e, praticamente, garantindo o tricampeonato, a apenas uma semana do final. Ela pode até mesmo bater o recorde do ativo componente de uma Carteira GRIFO que mais subiu num único trimestre. O recorde atual é da própria Kepler Weber (KEPL3), no trimestre de Dez/12 a Fev/13, quando ela fechou com uma alta de 45,5% no período.

Um dado interessante dessa semana é que a volatilidade histórica (de 52 semanas) da Carteira GRIFO atingiu seu menor valor até então, de apenas 14,8%. A VH vem caindo consistentemente desde seu pico de 17,5% no fim de julho/13. Para efeito comparativo, a VH do Ibovespa nas mesmas bases é hoje de 19,3%. A VH da Carteira GRIFO nunca foi superior a do Ibovespa, o que corrobora com a medida do índice Beta da nossa Carteira Recomendada, que tem sempre ficado inferior a 1,0.

Vejamos como está o quadro resumo, somente a uma semana do fim do trimestre:

image

domingo, 17 de novembro de 2013

Resultados – 16/11/2013

 

Carteira do Trimestre Set/Out/Nov de 2013 – Resultados de 01/09/2013 a 16/11/2013

 

Semana encurtada pelo feriado da Proclamação da República Brasileira e em comemoração, após três semana consecutivas de queda, voltamos a ter uma semana de alta no Mercado de Ações, com o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo terminando a semana com valorização de 2,30%. Nossa Carteira Trimestral Recomendada também teve um desempenho muito próximo ao do índice de referência, fechando a semana com alta de 2,21%, portanto, somente 0,10 ponto percentual inferior ao do Ibovespa. Após um período onde nossa Carteira Recomendada e o Ibovespa pareciam fazer movimentos opostos, nas últimas duas semanas eles vem andando muito próximos um do outro, aumentando um pouco a correlação entre esses dois índices no trimestre, que estava anormalmente baixa.

Com os resultados muito próximos entre a nossa Carteira Recomendada pelo Método GRIFO e o nosso índice de referência, o Ibovespa, a diferença acumulada no trimestre entre os desempenhos dessas duas composições manteve-se em 5,2 p.p., com o Ibovespa acumulando 6,9% de valorização desde o início do mês de setembro/13 e a Carteira GRIFO atingindo cerca de 12,0% de ganhos no mesmo período.

Nesta semana, o pior desempenho dentre os papéis que fazem parte da nossa Carteira Trimestral Recomendada foi o da estreante em nossas composições, Companhia Locação das Américas – Locamerica (LCAM3). A empresa divulgou seus resultados trimestrais na segunda-feira, dia 11/11/13, e mostrou grande diminuição do seu lucro líquido, impactado principalmente por itens extraordinários e maiores despesas financeiras atreladas ao aumento da taxa básica de juros no país. Com isso, os investidores ficaram desanimados, o que provocou um movimento de queda de 9,3% na semana.

O maior destaque positivo da semana também teve sua divulgação de resultados acontecendo nos últimos dias. A nossa queridinha Kepler Weber (KEPL3) divulgou seus resultados trimestrais correspondente ao 3T13 também na segunda-feira, dia 11/11, e causou grande alvoroço. Os números vieram espantosos, como exemplo, o lucro líquido subiu mais de 170% em relação ao mesmo período do ano anterior. A cotação das ações da Kepler Weber (KEPL3) dispararam mais 13,4% nesta semana, e já acumulam alta de mais de 170% no ano de 2013. Para entender um pouco mais do momento na empresa, sugiro a leitura dessa entrevista do Portal InfoMoney com o vice-presidente da Kepler Weber, Olivier Colas.

Outra ação que também merece destaque nesta semana é a Companhia Paranaense de Energia – Copel (CPLE3). Os papéis da Copel tiveram uma alta espetacular depois que a companhia anunciou remuneração ao acionista num percentual superior ao que vinha utilizando até então. A Copel também afirmou que esse é o passo inicial para a consolidação de um novo patamar de dividendos a ser praticado pela empresa, como noticia o Portal Exame. As ações ordinárias da Copel (CPLE3), que são as que possuímos, encerraram a semana com alta de 10,6%.

Com as altas da semana, os papéis das construtoras Cyrela (CYRE3) e Even (EVEN3) deixaram de apresentar prejuízo na Carteira Recomendada deste trimestre. Os papéis tiveram alta de 2,5% e 4,9%, respectivamente, o que foi suficiente para levá-los ao lado positivo da tabela. Com isso, a precisão da nossa Carteira Trimestral volta a subir, para 90%, restando somente duas empresas no lado negativo.

Essas duas empresas são a Locamerica (LCAM3) e a Rodobens (RDNI3). Com a grande queda desta semana, a Locamerica (LCAM3) aproxima-se da lanterninha, Rodobens (RDNI3). As duas acumulam perdas de 9,8% e 10,3%, respectivamente, desde o início do trimestre em setembro/13.

E com a expressiva alta da semana, a Kepler Weber (KEPL3) passa a ameaçar o trono da CSN (CSNA3) no trimestre, buscando seu tricampeonato (em três participações!). A empresa já acumula alta de 42,5% desde o início de setembro/13, enquanto a CSN (CSNA3) já atinge 50,8%. E vai ser uma boa briga, já que a CSN também apresentou excelentes resultados trimestrais na quinta-feira, dia 14/11.

Vejam essas brigas refletidas no nosso quadro resumo:

image

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Resultados – 09/11/2013

 

Carteira do Trimestre Set/Out/Nov de 2013 – Resultados de 01/09/2013 a 09/11/2013

 

A primeira semana do Ibovespa sem a participação da empresa OGX (OGXP3) em sua composição não foi nada boa. O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo foi bastante castigado nesta semana, despencando 3,27% e marcando a pior semana do Ibovespa neste trimestre. Para a nossa Carteira Trimestral Recomendada a semana também não foi muito diferente, com nossa carteira de ações caindo 2,59% e também marcando o pior resultado semanal do trimestre até o momento.

Mesmo assim, ainda conseguimos um desempenho 0,68 ponto percentual superior ao do nosso índice de referência, o que fez com a diferença que temos para o Ibovespa no acumulado do trimestre subisse para 5,2 p.p.. Agora, o Ibovespa acumula alta de 4,5% desde o início de setembro/13, enquanto no mesmo período a Carteira Recomendada pelo Método GRIFO atinge 9,6% de valorização.

Somente cinco ativos que compõem nossa Carteira Recomendada tiveram alta nesta difícil semana, e as maiores ficaram por conta do Banco Daycoval (DAYC4), que subiu 1,9% e a lanterninha da carteira no trimestre, Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3), que recuperou um pouquinho das perdas da semana anterior, subindo 1,6%. Essas duas empresas que se saíram melhor tiveram seus resultados divulgados nesta semana, o que é um bom sinal da seleção feita pelo Método GRIFO.

Já entre a porção de empresas que tiveram desempenho negativo nesta semana, destacamos as três que apresentaram as maiores quedas, todas do Setor de Construção e Engenharia: MRV Engenharia (MRVE3), que despencou 8,5%, a Brasil Brokers Participações (BBRK3), que caiu 7,3%, e a Direcional Engenharia (DIRR3), que perdeu 6,8%. A expectativa de mudança na taxa de juros afeta fortemente o setor, que corre risco de ver suas vendas caírem com o consumidor tendo mais dificuldade de financiamento.

Com as quedas generalizadas na semana, três empresas adentraram terreno negativo no acumulado do trimestre e juntaram-se à Rodobens (RDNI3). A Cyrela Brazil Realty (CYRE3) que perdeu 5,9% na semana, a Companhia Locação das Américas - Locamerica (LCAM3) que caiu 2,9%, e a Even Construtora e Incorporadora (EVEN3), que desvalorizou-se 0,7%. Com isso, a precisão da nossa Carteira Recomendada do Trimestre caiu para 80%.

A Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3) continua isolada na lanterna da Carteira Trimestral, acumulando perdas de 10,3% desde o início do trimestre, em setembro/13. E a CSN (CSNA3) mantém sua liderança tranquila, com valorização acumulada de 48,8% nesse mesmo período.

Vejam como está a distribuição atual dos resultados na nossa Carteira Recomendada do Trimestre:

image

Resultados – 02/11/2013


Carteira do Trimestre Set/Out/Nov de 2013 – Resultados de 01/09/2013 a 02/11/2013


Nesta semana, a queda do Ibovespa diminuiu bastante de intensidade e o principal índice de referência do Mercado de Ações brasileiro encerrou a semana apenas com uma pequena baixa de 0,26%. O arrefecimento do movimento baixista deu à Carteira Recomendada pelo Método GRIFO a chance de voltar a subir, e ela encerrou a semana em alta de 1,04%, uma vantagem de 1,30 ponto percentual sobre o Ibovespa.

No fim da semana, as ações da OGX finalmente deixaram de compor o índice Ibovespa, o que tornará nossa meta de superá-lo um pouco mais complicada, já que as ações da empresa de petróleo de Eike Batista vinham influenciando negativamente o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo.

Com os resultados dessa semana, nossa diferença para o Ibovespa no trimestre subiu para 4,5 p.p.. Enquanto nossa Carteira Recomendada pelo Método GRIFO volta a atingir a marca de 12,5% de valorização desde o início de setembro/13, marca próxima ao pico da semana retrasada, de 12,7%, o Ibovespa caiu para 8,0% de ganhos acumulados nesse mesmo período de cerca de dois meses.

Após uma semana de destaque, onde suas ações apresentaram valorização mesmo numa semana de quedas generalizadas, as ações da Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3) voltaram a decepcionar e despencaram 9,5%, ficando com o pior desempenho nesta última semana. Com mais essa queda acentuada, a Rodobens (RDNI3) já acumula 11,7% de perdas e vai ficando cada vez mais para trás na lanterninha do trimestre.

Já os destaques da semana dentre as componentes de nossa Carteira Trimestral Recomendada foram duas large caps, ambas componentes do Ibovespa e representantes das maiores empresas do Brasil: CSN (CSNA3) e Petrobras (PETR4).

A Companhia Siderúrgica Nacional - CSN (CSNA3) teve mais uma impressionante valorização de 9,8% em suas ações somente nesta semana, sendo o maior destaque semanal e elevando ainda mais sua vantagem na liderança de valorização neste trimestre dentre as ações componentes da Carteira GRIFO. Os papéis da CSN (CSNA3) já acumulam 49,2% de alta desde o início do trimestre em setembro/13.

As ações preferenciais da Petrobras (PETR4), por sua vez, valorizaram-se mais 7,4% nesta semana, sob o efeito tanto da divulgação de seu balanço do 3º Trimestre de 2013, realizada na sexta-feira passada (25/10), quanto (diria até que principalmente) pelo Fato Relevante divulgado naquele mesmo dia 25 de outubro sobre a nova metodologia de precificação do diesel e da gasolina. Esse Fato Relevante teve ampla repercussão nas mídias e tamanha especulação obrigou a empresa a divulgar novo Fato Relevante, no dia 30 de outubro de 2013, esclarecendo sobre as características dessa metodologia. O novo modelo de precificação de combustíveis também foi fortemente discutido na imprensa e nos fóruns especializados em Mercados de Ações, como mostra esta notícia do Portal G1.

A precisão da nossa Carteira Trimestral Recomendada pelo Método GRIFO se mantém em 95%, tendo somente as ações da Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3) no vermelho.

Segue o quadro resumo da Carteira GRIFO, neste início de novembro/13, último mês dessa composição:

image

sábado, 2 de novembro de 2013

Resultado – 17 meses (Outubro/13)


O mês de outubro de 2013, décimo sétimo mês desde a implantação do blog para o acompanhamento das nossas Carteiras Trimestrais Recomendadas pelo Método GRIFO, foi outro mês com belos resultados e com importantes marcas históricas batidas.

A nossa Carteira Recomendada Trimestral terminou este mês de outubro com uma expressiva alta de 4,42%, a segunda melhor marca do ano até então. O Ibovespa também teve um bom mês, com alta de 3,66%. Com esses resultados, voltamos a superar o Ibovespa, dessa vez em 0,76 ponto percentual, e a cumprir nosso objetivo primordial.

Duas importantes marcas foram conquistadas neste mês de outubro/13. Primeiro, voltamos a ampliar a nossa vantagem para o índice de referência, o Ibovespa, e agora estamos a 43,7 p.p. de distância do principal índice da Bolsa de Valores brasileira. O outro importante ponto superado foi o que marca o topo dos resultados acumulados dos nossos investimentos pelo Método GRIFO. Ao final deste mês de outubro/13, o nosso método fundamentalista de escolha de ações atingiu valorização acumulada desde o início de junho/12, quando começamos o acompanhamento pelo blog, de 43,3%, finalmente superando a marca que tinha sido estabelecida ao final do mês de abril/13. Nesse mesmo período de dezessete meses, o Ibovespa ficou praticamente no mesmo patamar, acumulando perdas de 0,4%.

O rendimento acumulado de nossas Carteiras Recomendadas pelo Método GRIFO é equivalente hoje a uma valorização média mensal de 2,14%, ou 28,9% ao ano! Isso num período em que o Ibovespa ficaria, numa média mensal, praticamente imóvel, perdendo 0,03% ao mês, o que é equivalente a 0,3% de perda ao ano.

Considerando-se somente os últimos doze meses, o nosso Método GRIFO de investimento em ações teria rendido 21,7%, enquanto o Ibovespa, no mesmo período, teria amargado 4,9% de desvalorização.

O gráfico de linhas, abaixo, evidencia que após 4 meses de recuperação, conseguimos eliminar totalmente os efeitos da queda do bimestre maio/junho de 2013, voltando a atingir topo histórico. O Ibovespa tem sofrido mais para se recuperar, não conseguindo ainda atingir o mesmo nível do final do mês de abril, embora se observe que o período de baixa do Ibovespa se iniciou muito antes, em janeiro/13 e se estendeu por todo o primeiro semestre deste ano. Então, a distância do Ibovespa para seu topo ao final de dezembro/12, ainda é bastante considerável.

image

O gráfico de barras traz mais um mês no positivo, o décimo quarto em dezessete, e mais um mês em que a barra verde (Método GRIFO) supera a barra azul (Ibovespa), também pela décima quarta vez em dezessete.

image

O Ibovespa agora deve tornar-se uma meta mais difícil de se bater, com a saída da OGX (OGXP3) do índice, que com sua imensa desvalorização vinha deixando o Ibovespa mais abatido. A empresa tinha um peso que correspondia a aproximadamente 3% do Ibovespa.

A despeito disso, continuamos com boas perspectivas para este trimestre, que entra agora em seu momento mais crucial, onde aparecem os reflexos das divulgações dos resultados trimestrais das empresas componentes da nossa Carteira Recomendada. Esperamos muita ação nesse mês de novembro/13!

Resultados – 26/10/2013

 

Carteira do Trimestre Set/Out/Nov de 2013 – Resultados de 01/09/2013 a 26/10/2013

Semana de queda do Ibovespa, embora ainda estejamos dentro do que parece ser o canal de uma tendência de alta estabelecida desde o início de julho/13. Nessa semana, o principal índice de ações da Bolsa de Valores de São Paulo foi grandemente influenciado pelas perdas nas ações do Grupo EBX, que devolveram parte da expressiva alta ocorrida na semana passada, e com isso, o Ibovespa terminou em baixa de 2,21%. A nossa Carteira Recomendada do Trimestre também cedeu à pressão dos ursos e fechou a semana em queda de 1,18%.

Com esse resultado de 1,03 ponto percentual de vantagem em relação ao nosso índice de referência, voltamos a colocar mais de 3 p.p. de distância sobre o Ibovespa no trimestre iniciado em setembro/13. Ao fim dessa semana, nossa Carteira GRIFO acumulava 11,4% de alta no trimestre, contra 8,3% de alta do Ibovespa.

Quem tomou uma grande rasteira nessa semana e fechou com a maior queda da nossa Carteira Recomendada foi justamente a nossa queridinha Kepler Weber (KEPL3), que despencou 8,9%.

Já os destaques de alta da semana foram as ações do Banco Pine (PINE4), que subiram 3,0%, as da Petrobras (PETR4), com alta de 3,1%, e as ações da Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3), lanterninha da Carteira GRIFO no trimestre, mas que foram as que mais subiram na semana, apresentando alta de 3,2%.

A semana teve um noticiário particularmente agitado para a Petrobras. Tivemos aí, ao longo da semana, o resultado do aguardado Leilão de Libra, a conclusão de um poço comprovando boas condições de produção no campo de Júpiter, no pré-sal da Bacia de Santos, e a notícia sobre o aumento de produção de petróleo da Petrobras em setembro. E, para encerrar a semana, mais dois Fatos Relevantes bombásticos, com a divulgação dos Resultados Trimestrais do 3º Trimestre de 2013, inaugurando as divulgações trimestrais das ações componentes de nossa Carteira Recomendada, e a informação a respeito de uma nova política de preços para os combustíveis a ser adotada pela companhia, tudo divulgado na noite de sexta-feira. Vejam como a imprensa reagiu a essas notícias nos links a seguir:

Com os movimentos dessa semana, as ações da CSN (CSNA3) seguem isoladas na liderança da Carteira Recomendada do Trimestre, já acumulando 35,9% de valorização desde o início de setembro/13. E apesar da alta dessa semana, as ações da Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3) ainda seguem na lanterna, e sendo o único papel da nossa Carteira GRIFO que ainda continua com resultado negativo, apresentando até o momento, baixa de 2,5%. A precisão da Carteira Recomendada permanece, portanto, em 95%.

Segue o quadro com o resumo até esta semana, já no fim do segundo mês do trimestre:

image

sábado, 26 de outubro de 2013

Resultados – 19/10/2013

 

Carteira do Trimestre Set/Out/Nov de 2013 – Resultados de 01/09/2013 a 19/10/2013


O Ibovespa deu mais um salto espetacular nesta semana, impulsionado pela gigantesca arrancada da OGX, que subiu mais de 80% nos últimos dias. A nossa Carteira Recomendada pelo Método GRIFO também subiu, mas teve um crescimento bem mais modesto, invertendo os papéis da semana passada. A Carteira Recomendada Trimestral teve alta de 0,40%, enquanto o Ibovespa marcou 3,79 pontos percentuais a mais, encerrando a semana com alta de 4,19%.

Com isso, a vantagem da nossa Carteira Recomendada neste trimestre iniciado em setembro/13 caiu para 2,0 p.p. O Ibovespa atingiu 10,7% de valorização no período, enquanto a Carteira GRIFO já alcança 12,7% de alta.

Considerando o acumulado desde o início do acompanhamento pelo blog, em junho/12, o Método GRIFO atinge novo recorde: 42,9% de valorização. No mesmo período, o Ibovespa subiu somente 1,6%, saindo do terreno negativo com a alta desta semana, onde já se encontrava há quase cinco meses, desde o final de maio/13.

O destaque negativo da semana foi novamente a Locamerica (LCAM3), a ação que mais se movimenta na nossa Carteira Recomendada. Das sete semanas transcorridas neste trimestre, a Locamerica foi por duas vezes a ação com o maior movimento de alta e, com mais essa semana, foi por três vezes aquela com o maior movimento de baixa, sendo, portanto, destaque de movimentação em cinco das sete semanas. Os papéis da Locamerica (LCAM3) despencaram 9,6% nos últimos sete dias.

Já o destaque positivo ficou por conta da CSN – Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3), que decolou nesta semana subindo mais 10,3%. Com isso, a CSN passou a ser a empresa componente de nossa Carteira Recomendada com a maior valorização no trimestre. Desde o início de setembro/13, as ações da CSN (CSNA3) já subiram 35,9%, ultrapassando as ações da Kepler Weber (KEPL3), que agora ocupam a segunda colocação, com alta acumulada de 27,8% nesse mesmo período.

Somente as ações da Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3) continuam com desempenho negativo no trimestre, onde acumulam queda de 5,5%. Sendo assim, a precisão da Carteira Recomendada mantém-se em 95%.

Segue o quadro resumo:

image

sábado, 12 de outubro de 2013

Resultados – 12/10/2013

 

Carteira do Trimestre Set/Out/Nov de 2013 – Resultados de 01/09/2013 a 12/10/2013

 

O Ibovespa retomou o seu caminho altista. Após duas semanas de correção, o principal índice da Bolsa de Valores brasileira voltou a apresentar alta, de 0,57%. Enquanto isso, a Carteira Recomendada pelo Método GRIFO deu mais um salto, fechando a semana com alta de 2,86%, portanto, com 2,30 pontos percentuais de superioridade sobre o desempenho do Ibovespa.

Com essa expressiva alta, a Carteira Recomendada Trimestral chegou a 12,3% de valorização desde o início de setembro/13, contra 6,3% de alta do Ibovespa, abrindo, assim, 6,0 p.p. de vantagem sobre o nosso índice de referência.

Esse grande resultado leva o nosso Método GRIFO a quebrar mais alguns recordes e barreiras importantes. A valorização acumulada desde junho/12 (início do blog) pelas Carteiras Recomendadas pelo Método GRIFO finalmente ultrapassou o pico de 41,5% que tinha sido estabelecido na semana terminada em 25/05/13. Essa marca havia sido destruída pelo nefasto mês de Junho/13 e início de Julho/13, que corroeram 22 p.p. do nosso resultado, levando-o em seis semanas de volta para os 19,5% de valorização. Depois disso, iniciou-se uma recuperação, um pouco mais lenta, mas que nos levou, enfim, a superar aquela marca do final de Maio/13, estabelecendo um novo recorde de 42,3% de valorização do Método GRIFO, após 20 semanas de permanência do recorde anterior.

Com essa marca, também estabelecemos um novo recorde de distância para o Ibovespa, nosso índice de referência, no acumulado desde o início do acompanhamento do Método GRIFO por este blog, em junho/12. Enquanto o GRIFO, como vimos, já apresenta 42,3% de ganhos acumulados no período, o Ibovespa ainda apresenta perdas de 2,5%, estando o nosso Método de escolha de ações com uma vantagem de 44,8 p.p.

Como nem tudo são flores, apresentamos os destaques negativos da semana, que foram de duas empresas componentes do Ibovespa (embora uma delas apareça na composição do índice da Bovespa com outra classe de ações). Tanto a Petrobras (PETR4), ainda influenciada pelo rebaixamento de sua nota de crédito pela Moody’s, quanto a Copel (CPLE3), que aprovou nessa semana sua reestruturação, caíram 3,1% na semana.

O maior destaque na semana ficou novamente por conta da Kepler Weber (KEPL3), nossa “menina dos olhos”, que subiu mais 10,3%! Também destaco a grande alta que tiveram as ações da CSN (CSNA3), que subiram 8,5%. Com a alta desta semana, essas duas empresas assumem, respectivamente, a liderança e a vice-liderança da Carteira Recomendada do Trimestre (Set/Out/Nov de 2013), com valorização de 26,4% para a Kepler Weber (KEPL3) e de 23,2% para a CSN (CSNA3) desde o início do mês de Setembro/13.

Com a alta dessa semana (+4,2%), a Direcional Engenharia (DIRR3) adentra território positivo, deixando somente a Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3) isolada com resultados negativos no trimestre até agora. A Rodobens (RDNI3) está com perdas de 3,4% desde 1º de Setembro/13 e, como é a única da Carteira Recomendada com resultado negativo, a precisão da Carteira Trimestral sobe para 95%.

Confiram o quadro resumo atualizado:

image


E um Feliz Dia das Crianças pra vocês!

Resultados – 05/10/2013

 

Carteira do Trimestre Set/Out/Nov de 2013 – Resultados de 01/09/2013 a 05/10/2013

 

Na primeira semana de outubro/13, o Ibovespa deu continuidade ao movimento de correção iniciado na semana passada, fechando em queda de 1,66%. Nessa semana, a nossa Carteira Recomendada Trimestral também acabou cedendo após quatro semanas consecutivas de alta, mas fechou praticamente estável, com perdas de somente 0,09%. Conseguimos novamente fechar acima do nosso índice de referência, com 1,57 ponto percentual de vantagem.

Com esse resultado, no acumulado deste trimestre iniciado em setembro/13, a Carteira Recomendada pelo Método GRIFO abre uma vantagem de 3,47 p.p. para o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo. Enquanto marcamos 9,15% de valorização, o Ibovespa subiu 5,67%.

A diferença entre os resultados do Método GRIFO e o Ibovespa no acumulado desde o início do blog, em junho/12, aumentou ainda mais e atingiu um novo valor recorde, ultrapassando uma marca importante, a dos 40 p.p.! O nosso método fundamentalista de análise para formação de carteiras atingiu valorização acumulada de 38,4%, enquanto o Ibovespa apresentou desvalorização de 3,0% no mesmo período, resultando numa vantagem de 41,4 p.p. em favor do GRIFO.

A Locamerica – Companhia Locação das Américas (LCAM3) tem se mostrado um papel de altos e baixos, com variações bruscas. Depois de ter a maior desvalorização da semana em meados de setembro/13 e de ter tido o melhor desempenho nas duas semanas em sequência (as duas últimas semanas), a Locamerica (LCAM3) volta a decepcionar e a ficar com o pior resultado semanal. Dessa vez a ação caiu 8,6%, não só perdendo a primeira colocação do ranking, mas caindo para o meio da tabela. Outro papel que também foi bastante castigado nessa semana foi o da Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3), que perdeu 7,4% de seu valor.

Já as duas ações que mais se destacaram na semana foram as ações da Kepler Weber (KEPL3), nossa mais bem sucedida descoberta pelo Método GRIFO, que subiu mais 7,7% nessa semana, e as ações do Banco Pine (PINE4) que tiveram alta de 5,8%.

Com esses resultados semanais, as primeiras colocações no nosso ranking de ações da Carteira Trimestral se embolaram novamente. Temos, na ordem: Banco Daycoval (DAYC4) com +17,0%, Banco do Brasil (BBAS3) e Kepler Weber (KEPL3), ambos com +14,6%, Eternit (ETER3) com +14,4%, CSN (CSNA3) com +13,6%, Banco Pine (PINE4) e Saraiva Livreiros Editores (SLED4), ambos com +13,3%.

Com a grande queda dessa semana, a Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3) tomou a lanterninha da Direcional Engenharia (DIRR3), assumindo a última posição, com desvalorização de 5,5% no período. A Rodobens (RDNI3) e a Direcional (DIRR3), são as duas empresas cujas quedas na semana as levaram para o lado negativo, fazendo a precisão da Carteira Recomendada Trimestral, que era de 100% nas duas últimas semanas, cair para 90%.

Segue o quadro resumo:

image

domingo, 6 de outubro de 2013

Resultado – 16 meses (Setembro/13)


O mês de setembro de 2013, décimo sexto mês de acompanhamento do Método GRIFO de seleção fundamentalista de ações, foi excelente! Neste mês tivemos a segunda maior valorização mensal anotada desde o início do acompanhamento pelo blog (em junho/12). A nossa Carteira Recomendada Trimestral teve valorização de 8,23%, ficando atrás somente da valorização obtida no mês de dezembro de 2012 (8,81%).

O Ibovespa, índice que utilizamos como referência e meta, também teve um resultado animador, apresentando alta de 4,65% no mês de setembro/13, marca esta que também só foi superada pelo mesmo mês de dez/12, no chamado “Rali de Natal”, quando o Ibovespa tinha subido 6,05%.

Havia dois meses que perdíamos para o índice de referência, que voltamos a superar com louvor neste mês, com uma margem de 3,58 pontos percentuais. Com isso, também marcamos a maior distância já colocada para o Ibovespa no acumulado desde o início do blog, em junho de 2012. Essa diferença tinha atingido 38,8 p.p. em maio/13 e veio caindo nos três meses posteriores, voltando para 35,0 p.p. em agosto/13. Ao final deste mês de setembro/13, a diferença estabelecida atingiu 41,2 p.p.! O Ibovespa acumula 3,9% de desvalorização nos últimos 16 meses, enquanto o Método GRIFO acumula nesse mesmo período uma valorização de 37,2%.

O rendimento acumulado das Carteiras Recomendadas pelo Método GRIFO ao longo desses meses equivale a uma valorização mensal de 2,00%! O Ibovespa teve em média nesse mesmo período uma desvalorização equivalente a 0,25% ao mês. Isso mostra o quanto estamos sendo bem sucedidos em nossa estratégia, a despeito de não termos atingindo a meta de superação do Ibovespa na última composição trimestral (onde perdemos nos meses de julho e agosto). No acumulado, estamos superando a meta, em média, em 2,25 p.p. ao mês.

Levando em consideração somente os últimos 12 meses, nosso Método GRIFO de investimento em ações resultou em ganhos de 15,3%, enquanto que o principal índice da Bolsa de Valores no Brasil apresentou perdas de 11,6% no mesmo período.

O gráfico de linhas, abaixo, mostra aceleração na recuperação do Método GRIFO, retomada que se iniciou lentamente no mês de julho, mas que ganhou força no último mês, levando o gráfico para um nível levemente superior ao do final do mês de maio, no início da queda. O Ibovespa, por sua vez, também mostra essa recuperação, embora num ritmo mais rápido nos primeiros meses e com menor aceleração neste último, não conseguindo ainda atingir o mesmo patamar de maio.

image

O gráfico de barras finalmente volta a ter a barra verde (Método GRIFO) superando a barra azul (Ibovespa).

image

As mudanças na Carteira Recomendada deste Trimestre parecem ter dado mais certo que as do trimestre passado, pois, apesar da desvantagem inicial de 0,7% devido ao gap de abertura dos papéis selecionados na segunda-feira dia 02/09 (primeiro dia útil do trimestre, que abriu em forte alta), recuperamos ainda dentro do próprio mês, ultrapassando o Ibovespa na última semana. Estamos confiantes de voltar a superar o Ibovespa no fechamento deste trimestre. Veremos.

Resultados – 28/09/2013

Carteira do Trimestre Set/Out/Nov de 2013 – Resultados de 01/09/2013 a 28/09/2013

 


Após três semanas consecutivas de alta, o Ibovespa virou e encerrou a quarta e última semana de setembro de 2013 com perdas de 0,69%. Já nossa Carteira Recomendada pelo Método GRIFO ainda conseguiu guardar fôlego para fazer a quarta semana de alta em sequência, marcando uma valorização de 2,08%.

Com o resultado dessa última semana, onde a Carteira GRIFO valorizou-se 2,76 pontos percentuais a mais que o índice de referência, finalmente conseguimos ultrapassar o Ibovespa no acumulado deste trimestre. Agora a nossa Carteira Recomendada Trimestral alcançou a marca de 9,24% de valorização desde o início do mês, enquanto o Ibovespa teve alta de 7,45% no acumulado do período. Abrimos, portanto, 1,79 p.p. de vantagem no trimestre sobre o índice de referência, retomando o caminho para o cumprimento do objetivo principal de nosso Método GRIFO, que é o de superar o principal índice da Bolsa de Valores brasileira, o Ibovespa.

Outro marco importante que foi ultrapassado nesta semana foi o da maior distância para o índice já conseguida no acumulado desde o início do acompanhamento pelo blog. O Método GRIFO já acumula 38,5% de valorização desde o início de junho/12, contra uma desvalorização de 1,4% do Ibovespa, uma distância de 39,9 p.p.! A marca anterior, de 39,5 p.p., prevalecia há três meses e meio.

Nesta semana, a Direcional Engenharia (DIRR3) voltou a nos preocupar, pois teve o pior desempenho da semana, com perdas de 4,6%, enquanto ainda é recente a memória das perdas desse papel no trimestre passado.

Já os destaques positivos da semana vieram de diferentes setores da economia. A ação que mais se destacou foi novamente a estreante Locamerica – Companhia Locação das Américas (LCAM3), do setor de aluguel de carros, que subiu 8,6%. O Banco ABC Brasil (ABCB4), que deixou a última posição da carteira, teve uma excelente semana e seus papéis se valorizaram 7,9%. Já a Copel (CPLE3), do setor de Energia Elétrica, também teve uma arrancada de destaque na semana, com alta de 7,8%.

Com mais esse resultado positivo, a Locamerica (LCAM3) se isolou na primeira colocação do ranking trimestral, apresentando valorização de 21,0% desde o início do mês. Já a lanterninha ficou agora na mão da Direcional Engenharia (DIRR3), que já está acostumada com esse posto. Ainda assim, a Direcional apresenta alta de 0,9% no acumulado do período.

A precisão da Carteira Recomendada Trimestral continua em 100%, com todas as vinte empresas componentes da Carteira GRIFO tendo apresentado alta até o momento.

Segue o quadro resumo, evidenciando o grande resultado apresentado até aqui, no trimestre:

image

Resultados – 21/09/2013


Carteira do Trimestre Set/Out/Nov de 2013 – Resultados de 01/09/2013 a 21/09/2013

 


A terceira semana do mês de setembro foi novamente de alta. O Ibovespa, continuando sua recuperação, subiu mais 0,58%, superando o desempenho na semana de nossa Carteira Recomendada pelo Método GRIFO, que subiu apenas metade desse valor, com alta de 0,29%. 

Os dois desempenhos estão incríveis, e bastante esticados. Enquanto o Ibovespa já atinge 8,19% de alta no acumulado do trimestre iniciado neste mês de setembro, a Carteira GRIFO não fica muito atrás e já apresenta valorização de 7,02%. Assim, o índice de referência abre um pouco mais sua vantagem sobre a nossa carteira, e essa diferença agora já chega a 1,18 ponto percentual.

A MRV Engenharia (MRVE3), que vinha liderando a Carteira Recomendada do Trimestre até então, sofreu grande realização nessa terceira semana, perdendo 8,2% e com isso, além de deixar a liderança em valorização da carteira, foi a ação destaque negativo, apresentando a maior desvalorização na semana.

Já o destaque positivo, revertendo a situação da semana passada, foi a estreante Locamerica – Companhia Locação das Américas (LCAM3), que surpreendeu com uma alta de 10,8%, alcançando as melhores posição na carteira.

O mês está 100%, e com ele, a nossa Carteira GRIFO. Pela primeira vez desde o início dos acompanhamentos pelo blog a nossa Carteira Recomendada Trimestral atinge de fato os 100% de precisão, com todas as vinte empresas componentes tendo valorização desde o início do período!

Vários papéis estão tendo desempenho notável, com alta superior a 8%: Banco do Brasil (BBAS3) com 11,5%, Locamerica (LCAM3) com 11,4%, Helbor (HBOR3) com 10,7%, Petrobras (PETR4) e Banco Daycoval (DAYC4), ambos com 10,4%, Banco Pine (PINE4) com 10,3%, Banco Banrisul (BRSR6) com 9,9% e Brasil Brokers Participações (BBRK3) com 8,9%.

Com todas as ações tendo valorização no período transcorrido até então neste trimestre, a lanterninha da Carteira Recomendada GRIFO é o Banco ABC Brasil (ABCB4), que apresenta somente uma leva alta de 0,1%.

Segue o quadro resumo, todo azul, com os 100% de precisão:

image

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Resultados – 14/09/2013

 

Carteira do Trimestre Set/Out/Nov de 2013 – Resultados de 01/09/2013 a 14/09/2013


A segunda semana do mês de setembro/13 foi de respiro após a grande euforia da semana passada. O Ibovespa ficou praticamente estável, apresentando alta de 0,09%. Já a Carteira Recomendada pelo Método GRIFO nesta semana resolveu dar troco no índice de referência, e continuou a alta da semana passada valorizando-se mais 2,62% na semana, marcando uma vantagem de 2,53 pontos percentuais sobre o referencial.

Com esse resultado, na soma das duas semanas a diferença caiu para apenas 0,86 p.p. em favor do Ibovespa (que é praticamente aquela diferença do gap de abertura, comentada na postagem anterior). O índice de referência acumula alta de 7,57%, enquanto nossa Carteira Trimestral Recomendada acumula ganhos de 6,71%.

Nesta semana, somente duas ações componentes da nossa Carteira Recomendada tiveram desempenho negativo, e aquela que caiu mais forte foi a estreante Locamerica – Companhia Locação das Américas (LCAM3), que perdeu 2,4% na semana. Já o destaque positivo ficou com o Banco Daycoval (DAYC4), que teve alta de 8,5% em suas ações.

Com isso, a precisão de nossa Carteira GRIFO subiu para igualar o mais alto nível já atingido, de 95%. E o recorde só não foi batido, atingindo os 100% de precisão, por conta dos papéis da Rodobens Negócios Imobiliários (RDNI3) terem encerrado esta semana exatamente no mesmo preço da compra no dia 02/09/13. Assim, temos dezenove empresas apresentando alta desde o início do mês e a Rodobens, que está no “zero a zero”. Não temos nenhuma ação da Carteira Recomendada em terreno negativo (e isso, é inédito!).

As duas empresas que estão se destacando na liderança do rali deste trimestre continuam sendo as mesmas da semana anterior: a MRV Engenharia (MRVE3) que já acumula 13,5% de alta, seguida pela Brasil Brokers Participações (BBRK3) que tem 11,5% de aumento.

E no quadro resumo está “tudo azul”!

image